Follow by Email

segunda-feira, 21 de novembro de 2011

Lágrimas de Amor

Choraram por minha causa umas quatro ou cinco vezes é mentira se eu falar que sumido não chorei por vocês andando desnorteado pela rua cinzenta assisti de camarote uma quase oitenta vezes, e no solo com meu violão via cada gota de chuva se misturando ao chão com minhas lágrimas e desejo com vendo a calçada suja minha voz já rouca vendo a calçada suja, correndo longe de casa já viajando sentado nem me importava com a chuva deixando o violão molhado o coração jogado ao chão já despedaçado igual o papel da música que eu tinha inventado mas o mesmo não me deixava esquecer a batida da música que cantava os amores de minha vida e os momentos melhores e os momentos ruins e totalmente triste queria que chagasse ao fim mas meu sorriso confuso começa a abrir e cantar não dá pra ficar com raiva de quem já cheguei a amar e voltando só com o violão nas costas fiquei tristonho e risonho de saber a resposta de porque eu fui sozinho pra rua contar passo a passo sair pra procurar a lua mas vendo a nuvem de neblima que me fechou não me amedrontei e comecei a sentir dor mas masoquista romântico que sou se posso me chamar assim eu lembrei que eu sai pra te encontrar dentro de mim!

Caique Maciel Arruda

Nenhum comentário:

Postar um comentário