Follow by Email

segunda-feira, 10 de dezembro de 2012

Implosão


Quase se rasgando de vontade de explodir ele vem, com a cara fechada, seu ânimo é tão colorido igual aos tons de penumbras e cinzas que se misturam a fumaça de seu cigarro. Seu próprio herói de guerra se encontra no espelho...sem reféns, sem misericórdia...sua mente cozinha feito o estomago dos líderes guerreiros porem nunca imaginou ser lider e sim libertar, as garrafas que ele carrega tão incessantemente em suas mãos ou são de bebidas alcoólicas ou molotovs prestes a se estilhaçarem em mais uma busca a terra prometida. Não há braços a abraçar, boca a beijar nem mesmo quimera a ser roubada quando os olhos já perderão quaisquer horizontes e os pés quaisquer caminhos  em uma folha qualquer eu desenho um sol escaldante.

Caique Maciel Arruda

domingo, 18 de novembro de 2012

Coisinhas

Um estilo socialite tomara meus espírito e casualmente bem vestido eu me encontrara, o cheiro do perfume exalava minhas vestimentas porem ainda demonstrava minha opinião sobre mim mesmo com uma camisa que continha um desenho de uma caveira dos idiotas, estava eu assim indo a um show. O ingresso que já em meu bolso desejava mais do que eu que eu passasse pela portaria mas minhas intenções tão poucas era o show em si , tinha eu sim, outros motivos pra estar lá. Ela estava linda dentre seus sorrisos suas roupas lhe davam um contraste melhor do que se estivesse nua naquele momento e seu olhar...sei lindo olhar de olhos de ressaca me encantavam. A música eufórica fazia-me pulsar porem ainda estava estático sentado em uma cadeira conversando com amigos de outrora porem meus olhares não conseguiam se afastar de olha-la. O show principal começou, e como de costume larguei minhas vestimentas socialites e fui para a dança, o cheiro inconfundível de poeira, sangue, suor, álcool destilado e cigarro me traziam de volta a vida, sim entrei na dança, sabe aquelas danças de um belo show punk com socos e pontapés, lugar melhor não poderia encontrar para me sentir mais vivo. Ao decorrer do show a pessoa que eu almejava na noite se embriagou, eu também bebia porem não cheguei a tal estado, puxei uma cadeira e sentei lá fora em uma roda de amigos, e de lá observei, esperei ela acordar para ir falar com ela, o seu tom de voz estava uma oitava a baixo e seu sorriso soava desnorteado mas aos meus olhos toda a beleza dela ainda estava ali. Todavia eu assim como ela devíamos partir, eu observei um de seus últimos movimentos ao me dar tchau, ela passou meio que sorrindo e com a mão em meu rosto, dei um sorriso e saí ao relento seguindo o rumo de casa, perdido em pensamentos no rumo de casa, perdido em rumo de uma ressaca.

Caique Maciel Arruda

segunda-feira, 12 de novembro de 2012

Verdade? Onde? Insanidade de Costume !

A visão embaçada começa a perceber a estante toda em um caos total, das pílulas sobrou só o frasco, os cigarros nos cinzeiro ainda esfumaçam o quarto e os modestos hematomas insinuam sinais de auto-agressão, mas vamos começar um pouco antes disso. Tudo começou quando meus olhos se abriram pela primeira vez depois de uma noite de embriagues, ao meu lado estava lá, com uma jaqueta surrada cheia de pats de bandas e semi-nua, ela, com o cheiro encantador de suor e bebidas misturados a qualidade de fumante ainda dormia naquela colchão ao chão em meio aos instrumentos musicais que davam o contraste de um belo cenário para qualquer outra semi-nua o completa-lo mas ela estava ali. Seus olhos fechados mexiam de um lado ao outro e sua respiração era ofegante, acreditei que ela ainda sonhava com a noite passada porem logo após lembrei que pessoas assim não sonham dormindo e sim vivem cada desejo que seja sinônimo disso. O relógio apontava que a noite estava chegando já e eu ainda estático com uma garrafa de whísky pela metade, um copo que já tinha visto inúmeras doses descerem minha garganta enquanto eu assoprava fumaça sem motivo algum, sem prazer algum, só observando. O relógio me observava como um moralista esperando eu acorda-la, eu pensava mas ela está tão linda assim, e seus ponteiros insistiam; -Acorda!, gritei no quarto; -Acorda vai, já está quase na hora de sairmos!, ela se relutava a levantar mas logo viu a bebida e acordou dizendo; -Enche um copo pra mim ai, vou no banheiro!, tão encantadora e tão agressiva que chegava a me dar arrepios.
Ela voltou, toda produzida em seu estilo; -Foda-se a sociedade!, ela dizia que chamava-se assim, e sentou em meu colo e me beijou dizendo;-Agora amor precisamos conversar..., enquanto ela falava meus olhos dentre meus óculos escuros e pensamentos só conseguiam olhar os seus lábios e pensar como ela consegue trocar de estado tão habilidosamente, de semi-nua e cheirando a noite passada a cheirosa e estou pronta pra outra, e ela termina -...ei, você não vai tomar um banho e se arrumar não?!, fui toma-lo, já estava embriagado quando ouvi barulhos, chamei; -Amor!, sem resposta, ela deveria estar quebrando algo, típico dela quando ouve músicas agressivas mas não conseguia ouvir nada, será que ela endoidou de vez?;-Amor!, sai do banheiro dizendo e procurando com a toalha enrolada em meu corpo, a visão embaçada começa a perceber a estante toda em um caos total, das pílulas sobrou só o frasco, os cigarros nos cinzeiro ainda esfumaçam o quarto e os modestos hematomas insinuam sinais de auto-agressão. Será que ela está morta, verifiquei os batimentos cardíacos, resposta sanguínea e respiratória gritam na minha cabeça, um imenso e seco não! Eu que deveria ter prestado atenção na conversa e nos olhos tristonhos dela que pareciam carregar barcos desnorteados ao relento, eu deveria, sou tão desatento, sou tão, pego minhas roupas e a garrafa e saio pela porta de uma apartamento incomum, comum insanidade, comum, mas pessoas como eu não costumam sonhar assim.

Caique Maciel Arruda

terça-feira, 11 de setembro de 2012

Escola da Vida

Realmente as vezes parece que foi ontem a última vez pela qual entrei pelo portão da escola e também a última pela qual sai. De verdade, há duas imagens as quais não somem da minha memória nunca, a empolgação de ser o último dia de aula no ensino médio e a decepção de ser o último dia de aula no ensino médio. Lembro de todos aqueles sorrisos com lágrimas, de todas aqueles abraços que diziam:" -Te vejo amanhã na aula!". Que ironia, o dia dessa aula se perdeu no tempo e eu mal vejo meus colegas de classe mais (risos de lamentação), porem me pego preso na última aula, me pego preso na última prova, meus professores já não estão aqui pra me prender e meus pais não me acordaram de manhã pra vir a esta aula, não me deram nem perguntas, creio que estou sozinho nisso, assim como alguns amigos de classe e dói ao perceber que por melhores que sejam as notas que eu tinha em meu boletim eu nunca estive preparado pra isso e me parece que nunca estarei. Alguns professores já partirão dessa vida ( Prof. Luis Carlos ), alguns nem reconhecem mais meu nome, outros elogiam meu vozeirão, mas acredito que nunca estarei lá de novo! (lágrimas). Aquele tempo de sorrisos e complicações, estudos, brincadeiras, aulas as quais fugi, aulas as quais fui um genuíno professor outras as quais fui tão criança que vejo que aquele velho muro da escola não deveria ter sido meu cúmplice em inúmeras fugas porem, oque seria da escola sem isso, sem as idas a diretoria e sem as  aulas de matemática ou educação física! Tanto tempo juntos e todos se escafedem de uma maneira espetacular, somem e sem a miníma ternura tentam manter contato, acho realmente que é esta última aula, esta prova sem perguntas pré-estipuladas acho que é a maior provação, a vida! E quando saímos com total certeza de liberdade a vida te toma tudo isso com responsabilidades, cobranças, trabalhos, negócios inadiáveis, bebidas destiladas, cigarros, vícios e ainda por cima te deixa tão cansado a ponto de cair na bobeira de não acreditar no seu sonho, é meus amigos, faz nos não querermos sonhar. A vida nos dá uma grande surra sem respostas e só lhe sobra uma bateria de perguntas sem resposta e aquilo tudo que os seus professores e pais falavam não deixa de ser a sua mais pura realidade com 18 anos de idade. Realmente as vezes parece que me pego pensando lembranças de outras pessoas na escola da vida!

Caique Maciel Arruda

terça-feira, 28 de agosto de 2012

Minha Inspiração da Manhã

Oque dizer, quando já não se tem oque pensar.
Oque fazer, se já não há mais sonhos pra sonhar.
Para onde ir, se já não se vê mais o caminho.
Como amar, se o sentimento acabou.
Como fikar, se o tempo já se foi. 
A lona me largou.
Sozinho com medo na escuridão.
Me perdi em meio a dor.
Quando me distanciei de seu coração.
Preciso de amor e não piedade.
Despreza-me , humilha-me.
Amo-te por isso sofro .. 
Dizes a mim oque fazer ?
Como lidar com essa dor de amor ?
Me ajuda socorre-me ; por favor.
Dor na alma, vagando sem rumo.
Mas um simples sorriso ;
Pequena esperança.
Brincadeira de criança ou não.
Assim sou eu .. escrevo poemas ;
Romanticos , sinistros ..
Poeta sem alma , sem capricho!

Caique Maciel Arruda

segunda-feira, 13 de agosto de 2012

Óculos Escuros

Óculos escuros, este vem sendo meu grande segredo há tempos. Usar óculos escuros para não enxergar meus medos. Vejo espelhos refletindo um sanidade incomum em meus dias, sou louco, insano, maluquinho, doidão, um alquimista embriagado, diria melhor um lunático e estes dias tão iguais andam me azucrinando a ponto que eu quero explodir. Esses são dias tão ruins que não consigo nem me sentir dentro do meu corpo, esse corpo se tornou um frasco sem perfume algum a única coisa que consigo encontrar nele é um puro vazio sem felicidades, sem felicidades! Antes eu cantava em fases dolorosas mesmo com sussurros de dores  porem hoje me mantenho em silêncio, um silêncio esmagador, infernal, pois o silêncio te faz pensar em tudo menos no que é bom! Necessito de outro eu! Fim de transmissão! 

Caique Maciel Arruda

terça-feira, 24 de julho de 2012

A Tempos Há


As vezes eu preciso mais do que qualquer sonho com cervejas geladas,
Tanto faz se eu não posso me entender junto as bitucas que apaguei com minhas lágrimas,
No chão eu escrevo minha última poesia, no piso eu vomito o melhor de tudo que há em mim.
Minha cabeça dói e eu procuro meu coração, me lembro que ele ficou junto com o cinzeiro,
Naquela mesa que eu não paguei uma conta, eu estou sem entender oque é real,
E andando em algum lugar a procura de um cigarro, fumando eu sinto sua falta filha da puta.
O sol nasce e eu começo a brincar com um leão que mais parece um doce gatinho
Com meus pés no chão eu posso sentir, o que é ser um suicida vivo!

Caique Maciel Arruda

quarta-feira, 27 de junho de 2012

Luah



Os meus olhos se fecham e eu penso em você junto com um cigarro aceso e algumas cervejas no fim da minha geladeira, ah se você soubesse, que toda vez que eu penso o olho embaça é quando o sorriso se mistura a fumaça e o violão no canto do quarto grita melodias pra canetar escrever sinônimos de meus dedos meio as ondas douradas do seu cabelo. A incapacidade de entender a distância é que aumenta a minha batida cardíaca sempre quando eu te vejo e desejo que entre sorrios e abraços que você nunca parta de perto de mim, como na verdade não parte mas meus olhos abertos não enchergam oque meus olhos fechados podem, você enraizada em mim. Seus lábios vermelhos vem tirando meu chão após um "Caca" eu não queria ir embora se pudesse ficava aque com você até cair no sono, sem lá se quer saber que após dizer isso realmente fica comigo até cair no sono ou melhor sonho que a feliz luz da "Luah" vem me trazer. E como se fosse a primeira vez tento te conquistar dinovo feito um tolo risonho dizendo: Olá meu nome é Caique, você vem sempre aqui!? Adoro sentir seus póros suspirando quando brinco assim e você me abraça a distância faz o sentimento diminuir mas nunca passar isso sempre dá pra ver nos nossos olhares.



Caique Maciel Arruda

terça-feira, 12 de junho de 2012

Meus Títulos de Postagens no Blog como um bom Texto


O vazio que me permite habitar é a verdade notória da oração para os meus amigos mortos. Entenda deu tchuti em minhas pretenções então penso logo resisto aos felizes sofredores que em mensagens subliminares encontram glória em passos de allstarlarinas que dizem que é só tristeza ao mestre do humor com seu olhar vibrante que não há como escapar. Eu Deus? Os parametros da lagarta devolvem meu dom poeta com uma prazerosa visão da morte, oque realmente as pessoas pensam? Fragilidade Agressiva sem censura é outra dose da realidade onde se embreagam vampiranjos com sentidos perdidos e lembranças presentes pensando em simplesmente superar. Você não está sozinho(a) quando verdades espelhadas lhe mostram a ponte da imaginação em um silêncio recitado falando sobre o amor e...o triângulo das bermudas que fez você acreditar que o amor tinha lhe prometido algo pra sempre em meio aqueles pelos dourados, lágrimas de amor e oração de skatista. A menina dos meus olhos fica em alta frequência como uma flor de asfalto em uma peça de teatro escrita sobre senso comum, magia e destino. Aquele salva vidas está sobre manipulação entre uma sexta básica e qual é o seu sonho? Falsos sorrisos?  Traidores? Um Brinde aos Fracassados? Não sei mas pai meus ritmos e poesias  estão de malas prontas até porque pessoas sempre se vão e a terra minha perdida, queria esquecer, se foi e eu vi minha morte sem pedir, sem querer, morte e não vida e aquele v de vingança ainda me intriga pois debaixo de minha pele há um herói da classe baixa tentando não chorar. Ao deitar sinto o toque de suas mãos mas o tempo, alias, meu medo temporário fazem lágrimas trazerem respostas diferentes  em uma corda bamba de uma aposta errada em uma dúvida certeira de tentar fazer a reformulação do hino da indepêndencia, eu tentei como uma risonha flor preguiçosa mas os fantasmas dos meus 666 infernos me deixaram fora de orbita e as borboletas alternativas da desistência fizeram a gentileza de em uma dizima periódica me mostrarem a sinfonia da droga do amor mesmo quando meu coração  viu que era o fim ca história, nossa história. Agora opostos, fico eu retirando o curativo em um dia frio  e você com uma saudosa vida, um caminho, um legado e eu só com o seu perfume e a lembrança de uma amor de morte que só em meio a feitiçaria eu tive o conceito e logo digo que ensinei um anjo a voar pois esses são lances da vida e em uma dessas eu ainda me dou bem!

Caique Maciel

segunda-feira, 28 de maio de 2012

O Vazio que me Permite Habitar



As vezes eu ando todo de branco pra esconder a escuridão que me habita e as vezes todo de preto pra esconder a luz que me habita, as vezes faço o bem para causar um mal maior e as vezes faço o mal pra causar um bem maior, não sei oque isto faz de mim mas o nada que em mim ecoa como um assovio dentro de um vazo é oque permite a habitação de todos meus estados!





Caique Maicel Arruda

Verdade Notória

Meu descanço é seu sorriso meu sorriso sua voz e minha voz o silêncio do seu olhar quando nota que não te olho apenas  por te achar gostosa e linda mas sim porque me maravilho com você a cada gargalhada sua como se fosse uma nota musical!



Caique Maciel Arruda

segunda-feira, 14 de maio de 2012

Oração para os meus Amigos Mortos

Se meus olhos pudessem ficar só com as lembranças boas meus irmãos, se os meus sorrisos pudessem ficar somente felizes porem não o meus olhos lamentam e meus sorriso forçado é pra segurar o baque. É, aquele velho sonho de ser idiotas para sempre, para sempre vai ser idiota esse velho sonho. Basta nãoquero mais lágrimas por vocês quero meus sorrisos e minhas mais sinceras disculpas por não ter ido junto a vocês, talvez podesse eu ter evitado ou talvez ir junto, agora o destino é quem decide porem me esperem eu estou chegando morrendo um a cada dia e vivendo um pouco a cada dia que vivo. E é muito difícil não lembrar não acham, temos tudo em comum. E é mais do que impossível se conformar. Eu não acreditaria nisso se não sentisse que um pedaço de minha alma se foi também. E eu não vou culpar Deus o mundo é dos espertos e se eu fosse ele iria querer ter vocês mais por perto pois cheguei a uma conclusão que eu nem choro mais, bem, não sei dizer se eu fiquei mais forte ou se morri também!

Caique Maciel Arruda

terça-feira, 8 de maio de 2012

Entenda

A única distância entre a luz e a escurisão é um piscar de olhos!


Caique Maciel Arruda

terça-feira, 1 de maio de 2012

Tchuti

E dos olhos escorreram sangue
Não sei se é o Diabo que fala mais comigo do que Deus ou se eu que falo mais com o Diabo do que com Deus. Estar com raiva nunca me leva ao lado bom de mim e isso não é nada bom, sabe o fato de eu não saber se tenho um lado bom dentro de mim. Isso me confundi.

Caique Maciel Arruda

Pretenção

Pretendo ficar velho e ser novo. Ser idoso e ser criança. Ter atitude não aparência. Pretendo viver eternamente em segredos escondidos em mensagens subliminares pois quem realmente entender oque escrevo vai me encontrar lá escondido não na moldura e sim na imagem a um palmo do seu nariz. A minha pretenção é cativar meus sonhos enquanto alimento minha morte e morrer todos os dias enquanto eu vivo já que viverei eternamente.

Caique Maciel Arruda

Penso Logo Resisto

Questionar, você pode. Pensar, você pode. Se expressar, você pode. Expor sua opinião, você pode. Alias, você pode tudo e a todos que imporem o contrário a isso, mais do que não existe outra resposta; Penso logo Resisto! 

Caique Maciel Arruda

Felizes Sofredores

Todas as minhas vontades me deixaram, meus desejos e sentimentos também me sinto literalmente uma pedra. Sofro todas as mudanças de temperaturas, sofro com todas as temperaturas que me causam mudanças. Estou vivo sem viver vivendo em uma contra-mão e não ligo nem um pouco que todos estejam indo para o outro lado. O céu da minha boca vive nublado e com pancadas de chuvas de cerveja e com as neblinas de meus cigarros. Tem vezes que nem me vejo dentre minhas alucinações, outras que nem quero me ver são. Continuo voando tão alto, continuo me decepicionando com oque encontro no céu azul. Se todas as paredes do meu quarto não fossem o horizonte creio que já teria me suicidado. Se meu limite não fosse o infinito creio que já estaria morto, enfim, agora já não sei se vivo a única coisa que sei é que me movo em rumo da última dança e nenhum de vocês sabem o quanto desejo isso mas ainda não o posso ter, pelo menos por enquanto não. Meus olhos já viram tantas coisas ruins que um sorriso insano sempre me toma quando vejo algo doentio. Eu realmente queria cortar todos os pescoços das pessoas que acreditam em amor e felicidade, isso só as fazem sofrer e acredito que cortar seus pescoços seria ajuda-las com uma dor por vir. Seja feliz até que a morte os separe ou seu vôo mal feito a procura da felicidade.







Caique Maciel Arruda

quinta-feira, 26 de abril de 2012

Mensagem Subliminar

Normalmente costuma acontecer tudo ao contrário do que você imaginou então imagine o contrário do que deseja pois seu desejo passará de imaginação pra realidade. Conheço verdades que são mentiras e mentiras que são verdades e nada que eu faça irá Mudar suas qualidades assim que impostas. Apago a luz que nos guia e vou só pela escuridão, deixo o nós e me torno eu é incrível como no escruro o invisível me salta aos olhos. Muitas pessoas não entendem porque me mantenho Em uma calmaria raivosa, em um silêncio sufucante em um estado estático constante. Sonho todos os dias acordado e quando durmo é um simples e imenso nada, alias odeio quando a vodka apaga meus sonhos noturnos. Vejo que todas as mágias negras não fazem mais nenhum sentido quando já Se é uma. Vejo que todos os vudôs, já não fazem mais sentidos quando se percebe que está sendo manipulado desde seu nascimento e todos seus ferimentos foram friamente calculados. Vejo que não se tem medo mais de nenhum monstro quando se percebe que os zumbis estão todos A solta realmente querendo comer ser cérebro. Ser a aguLha no palheiro não isso é fácil o dificíl é ser a única agulha do agulheiro que sempre toma no buraco. Econtrar-me, eu me achar é minha prioridade mas logo eu me achar! Eu reflexo perdido na infinidade de olhares espelhados, um eu com mil faces às bocas de pessoas, um eu demônio e um eu anjo caído. Súplicas e louVores sejam ditas a todo momento ao santíssimo e digníssimo sacramento, meu sacramento, meu sangramente, meu momento. Aonde ele vai? De onde ele volta? Aonde ele está? Perguntas e mais perguntas, respostas e mais perguntas! Como sorrir? Se apenas mostrar os dentE!s significasse sorrir estaria bem entre doses e fumaças. Como chorar sem poder dentro de uma mensagem subliminar.



Caique Maciel Arruda

quarta-feira, 18 de abril de 2012

Gloria

E mais do que de repente a Gloria vem me abraçar, flor risonha como sempre preguiçosa vem, adoro seu cheiro de simplicidade, amo seu sorriso sincero assim como sua vergonha perspicaz e seu medo aparente que ela tem do meu sorriso malicioso. Penso comigo que poderia viver a vida inteira do lado dela, sorrindo ou chorando. Quando olho nos olhos dela parece que meu mundo simplesmente se torna novamente poeira cósmica  pois olhando em seus olhos volto a ser somente um pedaço de nada querendo ser tudo com sua outra metade. E pensar que ela tinha medo de meu cabelo e meu jeito...coisa muito estranha pois desde que a via já tinha um certo afeto e acelero dentro do peito estando sujeito a só um passo, só um beijo. Amo ver a Gloria sorrir pois assim sorrio glorioso vendo seu jeito dengoso e vergonhoso quando beijo seu rosto querendo te ter pra sempre naquele momento. Aquele mesmo em que fica vermelha sabe? Aquele que eu fico quieto sabe? Aquele que eu não queria que o ponteiro batesse mais? Aquele em que você vai embora e eu fico sem Gloria.



Caique Maciel Arruda

segunda-feira, 2 de abril de 2012

Allstarlarina

Ela dança desesperada de um modo frenético pela rua com seu fone de ouvido e suas músicas esquisitas. Credo, porque dessas roupas pretas, jaqueta e all star surrado? Rosto pálido, tristeza aparente e por entre seus sorrisos você pode ver sair fumaça de cigarro e um bafo de alcool inevitável, ao meu ver parece que sua tristeza só some assim. Ela vem e seus passos são como a hora do pesadelo, pesados e assombrosos como os de uma bailarina torta ensaiando sua última aprensentação e ela mesmo desenha sua cenografia com caixões e sorrisos como os do gato de alice. Porem basta uma coisa só pra deixá-la descabelada e com menstruação aparente a troca do seu all star pelo salto alto e o termino de sua música predileta pois a mesma não aceita máscaras mas tem que usa-las. Só pra agradar os canalhas que a trairam e a deixaram com sangue nas meninas, nas meninas sinceras que nadam nuas e tristes em um mar de lágrimas. Morram, pois dançava a bailarina torta com seu all star em plena solidão e dançava a bailarina torta, dançava sem coração!

Caique Maciel Arruda

domingo, 1 de abril de 2012

É só Tristeza

É só tristeza, porem não é um novo sentimento, dando-me certeza de que toda vez que tento apaixonar-me o relento é minha casa e os refúgios infindáveis acabam por se acabar. Estou com as mesmas roupas velhas que vestia e com meu lazer, porem, inerte nas palavras que dizia a você, estupidez coerente, egoísmo meu, já que te tenho em mente queria meu corpo junto ao seu. Calado, eu tentei chamar sua atenção. Ignorante ignorando-te desejava sua rendição. Lembra aquele velho prêmio de idiota, sou invicto em ganha-lo, lembra quando eu te disse; estou apaixonado? Mediante essa situação você disculpa mas não e o fim acabara por um simples e seco mão quero te ver mais.
Porem, disse a você; feche os olhos e quando você abrir fingirei bem a agonia de não demostrar o meu amor,porem não olhe em meus olhos profundamente pois lá em um encontrará a verdade e no outro a vida podendo te amar, e se minhas mãos tremerem não se preucupe irei para o meu canto mais uma vez só compartilhar tal dor em meu violão em dó, e se eu me permitir acordarei mais uma vez , absorvirei mais uma vez e continuarei errando sorrindo mesmo quando machucado lembrando aquele velho teatro que imagino que não acontecera com meus pais e nos colos dos tais aprendendo a linear-me em vida solo sem choro.
Enfim, é só tristeza, pode entrar amiga!

Caique Maciel Arruda

sexta-feira, 23 de março de 2012

Mestre do Humor

Fazer outros sorrirem quando na verdade queremos chorar. Ser o palhaço mais sério do circo. Mostrar humor como poema. Fazer do poema um humor. Ser baiano de carteirinha arretado como um sorriso sincero de uma criança. Ter todos os problemas do mundo e fazer do mundo um problema engrassado. Morrer e se manter vivo, sendo assim, ser imortal. Ser por acidente, se é que se pode ser de outro jeito. Contar o miserê com total empatia nos olhos. Degustar cada degrau da escada da felicidade e saber que todos os outros até chegar ao topo são total sofrimento e que o sorriso que se carrega, se deve ao almejo da conquista. Conquistar tudo e se sentir sem motivo. Motivar-se novamente, e fazer do motivo uma piada idiota. Ser além do seu tempo e se sentir que o único tempo que lhe interessa é esse, o além deixe pra depois. Continuar alegrar quando a alegria já se esvaiu, e não se importar pois oque importa é que o show deve continuar. Cortinas fechadas e o espetáculo em total ápice. Chorar de rir, simplesmente chorar agora, é a vida depois riremos de tudo.
PS: Eterno Francisco Anysio de Oliveira Paula Filho




Caique Maciel Arruda

segunda-feira, 19 de março de 2012

Olhar vibrante

É menina, doce menina não sei oque acontece contigo, oque sente, qual é o seu problema, sempre tão fria e ao mesmo tempo tão delicada, mas se for a mesma coisa que sinto, posso ajuda-la? Creio que por sinal é bem parecida comigo, tenho saudade dos tempos em que era meiga como você, sei que te fazia feliz quando conversávamos, conversas bobas eu sei, mais nos conhecemos tão por acaso tão de repente. Lembro-me como se fosse ontem quando dizia que eu era sua inspiração, não tínhamos tanta amizade, na verdade não tive a oportunidade de conhecê-la pessoalmente, mas me confortava conversar com você, não me dizia nada e ao mesmo tempo tudo, sua boca sempre em silêncio calada, mais seus olhos sempre gritando por socorro, eu sentia como se tivesse ai quando dizia que não era amada pelo seu amor, quando tentava se expressar com os pulsos cortados em lâmina para ser notada. É menina, eu tentei lhe ajudar, pena que aconteceu algo inaceitável entre nós incluindo outra pessoa, você sabe oque estou dizendo, tentei também fazer com que isso não atrapalhasse, mas infelizmente essa outra pessoa tem uma importância maior pra mim, tão grande que se soubesse não teria feito talvez, me desculpe mais não pude engolir, pois não se trata só de amor e sim de amizade uma grande amizade que nos impede. Você me feriu sim, mas te digo garota que apesar de tudo que aconteceu sempre quis sua vitória e sei que terá, pois não é como as outras. Não quero saber como esta, sabes que me magoou muito né? Mas quero saber como vai ficar então vá menina corra, se liberte, pois seu futuro será esplendido minha pequena.

Bárbara Sakamoto

Como Escapar

Criou-se novamente. Quem disse que podia? Abaixo do meu pescoço e acima de minha barriga, nossa mas como dói! Ver sentido em todos perfumes, sorrir de todas as idiotices ditas, viver um ano em um segundo e sofrer ferosmente por segundo sem ver uma lindeza de imagem similar somente a sua. Dói! Agora dentro do crânio. Dizem por ai que não se pode sentir duas dores ao mesmo tempo mas nunca disseram que duas dores podem se tornar uma: O amor! Dói mesmo essa dor, dói ter braços e não poder abraça-la, olfato e não saber seu perfume, olhos e te enchergar só em pensamentos, pernas e não andar ao seu lado, sorriso e não compartilha-lo com você, lágrimas e não chorar ao seu lado, lábios para beijá-la e assoviar solidão, dedos e somente entrelaça-los com os meus em prece pra que seja realidade; Dói poder ter apenas um coração e o meu ainda não estar dentro de você e o seu dentro de mim, um transfusão do amor, sim, transfusão do amor. Demorou pra mim perceber que distância e esperança aos olhos de quem vê tem o mesmo tamanho mas aos olhos de quem sente, direi, distância é um grão de areia no olho de um ciclope, encomoda mas não empedi de deixa-lo ver seu objetivo real. Criou-se novamente, sinto, entende, sinto e não sentia mais nada. Sinto arrepios com pensamentos, sonhos tangivêis, frio na barriga,  perda de razão e somente batimentos cardiacos a dizer em uma forma que expeli em meus poros: SINTO O AMOR!

PS: Isabelly Santos

Caique Maciel Arruda

quinta-feira, 15 de março de 2012

Eu Deus

E eu estive presente em todos os momentos de minha vida e mesmo assim eu não me empedi em nenhum momento de tomar todas as atitudes que tomei tanto boas quanto más e meu lado acionário apenas sentia que eu estava lá observando mas não podia enchergar-me, igual aquelas fotos que tiramos e vemos estranhos nelas, estranhos que refletem igualmente nossa sombra com nossa personalidade, nosso medo ou mesmo vontade. Sempre vivi a observar-me e a cada passo meu limitava-me a me deixar seguir livre a tomar atitudes, houve horas que pedi favores a mim mesmo e outras que desejei cortar o pescoço quando os favores não se realizavam, observei que a falta de vontade da minha pessoa deixava-me, fantasma, cada vez mais frustado, e assim o frustramento tornava-me cada vez mais possessivo de mim mesmo tornando meus atos erroneos e minhas certezas cegas ao limite vi que me prendi dentro do meu corpo e que meu corpo me retinha e já assim eu necessitava de outro estado, tornar-me trino, quando percebi que meu corpo já estava trancafiado a minha alma fiquei louco e procurei um jeito de sair daquele estado de certezas das quais estava mais incerto do que nunca e me tornei trino ao libertar minha mente, libertando-a observei um mundo totalmente diferente, um lugar onde eu não só observava a mim e sim a todos, lugar este onde eu obtive milhões de costumes, dei fim aos meus preconceitos e lugar este onde percebi que viver pensando só em mim mesmo é puro egoísmo e que todos fazem parte de mim  pois afinal somos uma célula e cuidando de mim eu necessito cuidar de todos e cuidando de todos eu me torno simples gentil e supremo aos olhos de quem encherga assim. Aos meus olhos eu sou meu deus, trino, e ressucito com os meus poderes a cada morte minha, poderes os quais tenho como superação, força de vontade e fé em si próprio, assim se vai longe assim uma pessoa se torna deus pois somos assim precisamos de fé e força de vontade pra alcançar a superação. Trino, eu sou meu deus.

Caique Maciel Arruda

PS: A diferença entre eu e Deus são somente duas coisas, Sem o D e o S Deus fica como eu. A única diferença entre eu e Deus são somente duas coisas o D e o S o resto é eu.

quarta-feira, 14 de março de 2012

Parametros da Lagarta

Escuridão. Simplesmente escuridão após todo esse esforço? Meus, não sei o nome ainda, olhos não abrem por mais que eu queira e só ouço ruídos, barulhos que não identifico mas me proponho a organiza-los e decidir-me direcionar mesmo de olhos fechados. Me localizo no chão sem braços maternos ou fratenos, percebo que fui deixado pra sobreviver, percebo que me arrasto e junto vem um corpo pesado e oque pesa mais do este são sentidos e sentimentos, pois já posso sentir o contato e com o contato sentir medo e com o medo meus olhos abrem. Maravilhosa mente junto as lágrimas vem as luzes e as cores loucas e emocionantes de um mundo que eu vejo que o meu medo criou pois sem meu medo de não enchergar eu não enchergaria. Começo a enchergar mas oque mas me frusta é que ainda estou de joelhos dobrados, cabeça baixa e identificando ruídos que não sei oque dizem, produzindo ruídos que não sei porque os repito, simples assim, vou repitindo oque eu ouço e vejo, acho que não tenho próprias atitudes ainda mas enchergo algo e produzo ruídos oque já é bom mas essa de rastejar não é minha praia. Levanto. Caio. Levanto. Caio. Levanto e dous meus próprios passos e começo a gritar prontamente querendo algo, mudança, viver sem ser confinado a limites e regras, percebo que não é possível pois amo tudo oque conheci e a tudo que so conheci sou preso e tenho medo de perde-lo, novamente minha visão é aprimorada pelo medo. Conheço mil e uma coisas, me torno o ladrão perfeito, o assassino mais necessário, o mau menos esperado e o idiota mais triste por amar. Algo que minhas mãos não podem arrancar de dentro de mim me deixa triste e mesmo após todo o conhecimento, gritaria e independência me sinto mordido por dentro, preso e triste por essa merda que chama amor. Percebo, e prontamente me envolvo em um casulo a pensar, fico nele até acreditar eliminar esse sentimento e volto melhor do que nunca com uma outra visão, com outra aparência mas não consigo deixar de amar, pois querendo ou não é a primeira sensação que me vem ao sentir que eu estou vivo e que se trancar em casulos pode ser mais proveitoso do que se pensa, se você souber o caminho por qual entrou saberá como sair melhor ainda desse labirinto criado por você mesmo. Voa borboleta, mas nunca esqueça que ser lagarta é que te ensinou a viver!



Caique Maciel Arruda

quarta-feira, 7 de março de 2012

Dom Poeta

Você realmente queria ter esse dom? O dom de tudo certo e tudo errado, tudo feliz e tudo triste, estar bem e estar perdido, viver entre tristezas e doses para esse fundos com fumaças de cigarros, viver entra a morte e a vontade de se suicidar, ter vontade de escrever e medo do que vai sair do seus dedos, o dom de estar morto por dentro e continuar caminhando só usando o cérebro, de estar no meio de todo mundo e se sentir a pessoa mais só dele, o dom de se sentir a melhor pessoa do mundo e ainda assim continuar sendo a única pessoa boa , viver entre a raiva e a explosão, entre a música e o silêncio pois os outros sons não importam, o dom de não se sentir com o mesmo, o dom de sorrir só pra agradar, agradar só pra ver um sorriso, chorar só pra conseguir se libertar e segurar a vontade de cortar os pulsos escrevendo, você queria ter esse dom? Então você queria ter o dom de ser poeta só pra viver amores não vividos por você e sim pelos sentimentos a flor da sua pele!

Caique Maciel Arruda

Prazerosa Visão da Morte

Como pode voltar a correr de meus dedos dinovo a vontade de me enforcar. Parece-me que essa vontade é constante como doses em dias de finais de semana, sonhos que fogem da lembrança ou o vivido ato de querer suicidar-se! Venho andando há tanto querendo encontrar um horizonte que já não enchergo, venho eu e venho mancando, e as velhas asas da esperança, noto eu, não querem alçar voô estão canssadas de voar e conseguirem  somente fazer o seu vento sobrar as folhas secas que se misturaram as lágrimas no chão. Meus olhos não se encaram mais na frente do espelho e eu não consigo mais olhar-me por dentro pois há somente um intenso escuro, uma umbra, as cores felizes foram engolidas vorazmente e do mesmo modo expelidas com puro cheiro de vodka misturada com delírios de um louco e pitadas de sanidade, acho que o terceiro ingrediente, sanidade, sempre me faz vomitar em todo e qualquer lugar. A compania de um cigarro é oque ando tendo de mais amigável em mim e meu sorriso, ah ele sim ainda se mantem intacto e amarelado como o de qualquer um de vocês que como eu usa máscaras em dias assim que se tornam comuns a pessoas que não vivem e sim realmente morrem a cada dia que passa. Condicionei-me a um estado lutar e percebi que fiquei estático. Cada dia morro pensando em todos os porques, todas as dúvidas, cada atitude não tomada e isso parou minhas composições músicais assim como decapitou todos meus sentimentos e ao ver suas cabeças no chão senti no paladar que meu puro sangue, e foi bom, o único sentimento que restou foi o medo, e o senti com muito fevor ao perceber que fiquei feliz ao me ver-me morrendo aos poucos!




Caique Maciel Arruda

Oque realmente as pessoas pensam?



 Vêm de repente pensamentos que toma conta de mim, coisas inaceitáveis talvez, sei que isso não me faz bem, me sufoca em saber que posso ajudar mais nem sempre elas dão a importância de saber, sei que às vezes lhe interessam mais não faz tanto sentido, pois não é aquilo que as confortam.
 Talvez isso faça parte da idade, ou não, ou são sós pensamentos escrotos, que na maioria das vezes sinto que só eu tenho só eu posso sentir, queria ter um pouco de sossego disso tudo, queria que voasse pra bem longe e encontrasse uma pessoa que realmente entenderia.
 Nem sempre isso é bom, julgar é a palavra certa a se dizer oque realmente acontece, mais confesso que não ligo, pois foram várias batalhas e conquista pra chegar até aqui, sei que todo esse sofrimento é uma forma de crescimento e amadurecimento, e não há nenhum problema na verdade são obstáculos, e lhe digo que cada pessoa encontrará seu próprio caminho a trilhar, pois oque é seu a vida realmente lhe guardou.

Bárbara Sakamoto

Fragilidade Agressiva

Estou escrevendo hoje para pedir socorro, sim, socorro. Me socorre, me arranca esse vazio, revira o meu mundo de ponta cabeça, vai, ainda há tempo. Me tira essa vontade de buscar por coisas erradas, por estar seguindo por um caminho tortuoso onde só há dor, por favor eu lhe peço, me socorre. Sei que sabes de tudo, és o bem maior. Por favor me dê forças, porque eu não tenho mais. Pensar em desistir? Quase todos os dias. Como isso é possível? Pra onde foi toda aquela coragem, toda aquela fé, luta, esperança? Se entregar desse jeito é? Não sei mais quem eu sou, sim, eu cheguei a esse ponto. Eu olho no espelho e vejo uma mera desconhecida, vejo sangue em meus olhos, vejo dor, não há mais brilho nenhum. Quando foi que eu me perdi desse jeito? Como foi que eu vim parar aqui? Como cheguei a esse ponto? Não consigo mais ter esperança, não consigo ter mais nada. Minha vida é reclamar, fazer coisas para que o tempo passe mais rápido, simplesmente ignorar a tudo. Esse vazio é tão grande, nada preenche, nada mesmo. O que me falta então? O que preciso para recuperar toda aquela força de antes, me diz, pelo amor de Deus.  Estou totalmente perdida e assustada. Me proteja.



Jeniffer Diniz

quarta-feira, 29 de fevereiro de 2012

Sem Censura

Há dias que eu queria fazer pessoas engolirem alguns espelhos pra perceber que oque é realmente lindo é oque há por dentro e se é preciso um espelho a estas para verem a beleza, então as farei engoli-lo. Quebrei todos os espelhos que me prendiam a está beleza sóbria e me embreaguei  nas belezas que não refletem futilidade e narcisismo e sim simplicidade, humildade e harmônia. Aquele velho quebra-cabeça que me montava ? Joguei todas as peças fora e estou a deriva indo na rosa dos ventos pra ver se venta oque eu sempre quiz ser e não oque eu sempre fui pensando ser o melhor. Intensidade. Palavra que tem me intrigado, não tenho vivido isso, estou canssado de sonhos capitalistas e estou preferindo bem mais os que são feitos canetas esferográficas e violões na beira de um final de tarde com alguém que eu ame de paixão, isso sim é uma realidade aceitável pra mim. Conviver comigo mesmo tem me deixado louco, quero eu vá embora, e quero que eu vá agora! Por nem um segundo tenho paz, não consigo me deixar mas fazer oque eu me completo. Pensando bem, na frente do espelho fasso outra promessa pra mim mesmo, não esquecerei quem eu sou e nem como dar valor as coisas as quais seus reflexos são simplicidade e não futilidade!



Caique Maciel Arduda

segunda-feira, 27 de fevereiro de 2012

Outra dose da Realidade

Olhando em meus próprios olhos eu tento nem piscar pois eu não queria me perder nem por um segundo porem em tão notória observação vejo que estou perdido a muito tempo. Há tempos que a bebida não me faz esquecer do que eu quero e sim me faz esquecer de quem eu sou, tenho andado vagando, e quando passo por ai como se fosse uma alma sem corpo sinto longe de mim mesmo longe de quem e do que eu sou, acho que quando vago por ai vago a procura de mim e tento me achar em um passado de copos com alcool e sorrisos esfumaçados que sei que nunca serão os mesmos porres e nunca serão as mesmas cinzas no cinzero. Estou percebendo que oque está ficando pra tráz são só bitucas e cheiro de bebidas destiladas, alias acho que eu fiquei também por ali e preciso voltar pra me encontrar mas vi que não será fácil pois não sei por qual estrada vim parar aqui e não sei como voltar porem preciso a única alternativa é ouvir aquelas vozes, sabe aquelas vozes, que gritam dentro de toda sua cabeça todo o tempo, não sei se finji não as escutar ou se dentro da minha cabeça não existem mas escuto gritos e insistem em uma só palavra; SOCORRO! e corro nesta direção, acho que estou vendo algo mas não me parece uma luz tremula e sim mais uma massa cinzenta e percebo que oque eu deixei pra traz não foi minha alma e sim minha consciência. Finalmente a encontrei de volta mas será que vou saber usar, infelizmente a resposta está em outras doses de verdades e pra não perder o costume: DESCE OUTRA PRA MIM, PORQUE HOJE VOU COMEMORAR E NÃO TENTAR ESQUECER QUE ME REENCONTREI EM UM LUGAR QUE NEM LEMBRO AONDE FUI, OBRIGADO!

Caique Maciel Arruda

Vampiranjo

Ainda sim eu sou o único vampiranjo em todo o universo e entre todas as dimenções e mesmo assim ainda tenho o costume desagradável de tratar com o próprio diabo em copos de destilados nesse inferno que chamam de planeta terra e sou tão solitário quanto meu sorriso na frente do espelho sem um reflexo positivo!



Caique Maciel Arruda

terça-feira, 21 de fevereiro de 2012

Sentidos Perdidos

“A verdade é que ela estava perdida, totalmente perdida em si mesma, na sua própria dor. Havia coisas das quais ela não entendia, por mais que tentasse, ela não conseguia entender o “Porque?”. Ela o procurava em todos os cantos, em cada nova pessoa, em cada novo sorriso. Ela queria um pouco mais dele, um pouquinho mais. A dor era grande. Ela não conseguia se encontrar, não havia mais sentido para aquilo tudo, simplesmente não havia mais sentido. Ela só queria se esquecer.”



 Jeniffer Diniz

Lembranças Presentes

“Sabe meu amor, escrevo não na esperança de que tu leias, mas para aliviar tudo que sinto, mais uma vez. Ontem a noite sonhei com você, foi um dos meus sonhos mais bonitos, não havia dor, nem dúvidas, nem confusões, nada. Só havia eu e você, sorrindo. Nos abraçamos e você me apertou como de costume, me deu uma mordida e eu puxei teu cabelo. Ficamos conversando por horas sobre tantas bobagens e conversamos também sobre o futuro, sobre o nosso futuro. Por fim você disse uma de suas idéias e eu te contrariei, como sempre fazia. Você começou a me fazer cócegas e eu te dei um tapa. Demos várias gargalhadas juntos e então acordei. Acordei sorrindo, como uma grande idiota. Reparei que tinha sido só um sonho, mas não um sonho comum como todos os outros antes. Estávamos sorrindo juntos. Então me peguei lembrando dos seus lindos olhos, de como você desviava o seu olhar, fingindo não estar notando a minha presença. Lembrei do seu abraço, do seu cheiro, ah aquele cheiro, que sempre ficava em minhas roupas e em mim. Lembrei da sua cara de mal, de como erguia a sobrancelha e enrugava o nariz, lembrei do seu sorriso. Lembrei de como eu ficava mexendo no seu cabelo e de como logo em seguida você ficava arrumando, você não tinha sussego, acabava de arrumar, eu ia la e mexia de novo. Lembrei das suas mordidas, lembrei dos apertos, puxões de cabelo e lembrei do seu beijo. Ainda me pergunto como é que eu posso sentir tudo isso, só de lembrar. É como se eu conseguisse sentir o teu gosto, sentir o teu cheiro aqui. Lembrar dos nossos momentos me faz bem. Relembro e relembro. E só assim posso te manter bem aqui, perto de mim.. Porque nas minhas memórias você ainda está aqui, tão presente como nunca.”



Jeniffer Diniz

Simplesmente Superar

“E eu estava aqui lembrando dos nossos momentos juntos.. E eu me pego pensando que eu não queria nada mais do que um abraço seu, imagino a cena, você vindo de longe, eu olhando nos seus olhos, você não precisaria dizer nada sobre o passado, não precisaria se desculpar pelas coisas que ja se foram, não precisaria lembrar dos nossos momentos ruins, você só precisaria me abraçar e dizer: Está tudo bem agora, eu estou aqui.. Eu esqueceria todo o resto e estenderia minha mão pra você, mais uma vez. É imaginar demais, não é? Depois de tudo, sim eu sei.. A questão é que os sentimentos mudaram, eu não sinto mais posse, nem quero você só pra mim, eu só quero que você vá ser feliz, de verdade. Que você encontre o seu caminho, faça escolhas certas dessa vez e não deixe com que o medo te atrapalhe, que a indecisão te domine. Eu amo você, demais. Acho que nem você, nem eu, nem ninguém poderia saber o quanto. Me cansei desse disfarce, me cansei de simplesmente te ignorar e me proibir de pensar em você, cansei de me enganar. Eu realmente não gosto nem um pouco de voltar nisso, esse mesmo assunto, essas mesmas palavras, que talvez pra você não signifiquem nada, apenas mais uma, de várias. Eu não me importo, estou aqui porque isso vem me matando por dentro.. Sabe, é tão estranho isso, é tão bom lembrar dos nossos momentos, das nossas idiotices, daquele tal beijo na chuva, eu sinto tanta saudade, mas tanta. Se eu pudesse voltar, pelo menos uns 5min, só pra sentir de novo tudo aquilo e lembrar de como eu era tão feliz e nem ao menos desconfiava.. Aquelas pequenas coisas, que de pequenas não tinham absolutamente nada. Eu estou bem. Mas cansei de reticências. Não espero mais, sei que não vens. Quero apenas conseguir colocar um ponto final e seguir. É assim que as pessoas fazem, não é? Elas simplesmente superam.”



 Jeniffer Diniz

Você não está Sozinha

“Ei menina, você sabe tão bem quanto eu que um dia essa dor terá fim, que um dia tudo o que você está sentindo, tudo que você acumulou a quase uma vida inteira vai sair, vai voar para bem longe. Você vai ser feliz minha pequena, claro que vai. O tempo é o melhor remédio, sim é verdade. Não desista agora, é tudo que eu lhe peço. Estou aqui de cima olhando por você e te protegendo, você sabe disso. Não se permita desistir. Você tem um caminho enorme para trilhar, tem um belo futuro pela frente. Não se permita. Pensamentos ruins todo mundo tem não é mesmo? Não se deixe levar. Tão boa observadora, já deveria ter notado que se acontecem tantas coisas ruins com você, é porque sabes que vai aguentar. Se você pudesse ver o que eu vejo e como eu vejo, não pensaria nenhum minuto sequer em desistir. Teu futuro é belo. Faça as escolhas certas. Não se esqueça que eu estou aqui. Sei que muitas vezes você se sente sozinha, sufocada. Porque não conversa comigo? Porque não alivia esse coração? Deixa toda mágoa, todo rancor de lado. Vá viver. Deixe as coisas boas entrarem. Vá ser feliz menina, vá. Você não está sozinha, você vai vencer, estou com você.”



 Jeniffer Diniz

segunda-feira, 20 de fevereiro de 2012

sedaderV sadahlepsE

sedaderV sadahlepse oãs sasioc euq aireuq rezid etnemlatot od otiej euq oãs, soriedaderv soxelfer ed suem sotnemasnep sotircse an etnerf od !ohlepse



euqiaC leicaM adurrA

Ponte da Imaginação!

A princípio, fixo bem a minha frente um rio negro com luzes de neon e faixas acrobáticas estupefantes e saio a andar pelos orifícios de poças razas mas com uma profundidade intelectual rarissima paro e observo o céu que me contagia como se uma música estivesse sendo composta dentro de mim e sinto vontade de dançar, magicalmente aparece a minha frente duas lindas bailarinas com vestidos muito bem pintados, imagino eu, é outra obra de arte e quando peço o prazer da dança grilhões surgem sobre os pulsos delas e barbaros tomam o lugar gritando e urrando dando ao lugar de dois sorrisos, duas lágrimas celestiais, a princípio meus medos tomam conta de mim porem após cena tão sufocante meus punhos saem a destribuir socos, o medo some e barbaros se acotovelam aos meus golpes e se tornam apenas outros barbudos bebados em cantos de bares, corro ao encontro de minhas fadas pois as libertei e caindo em uma cratéra vejo que elas voam sobre meus pensamentos e gritam um voto de agradecimento porem o buraco no qual cai, e quante e percebo, pareço estar dentro de um dragão do mar porem denro do mesmo em um barco a deriva encontro velhos amigos, uns q se vão e outros que adentram minha embarcação e embreagados sorrimos e em um piscar de olhos, percebo que nada disso aconteceu realmente aos olhos de todos a minha volta e noto que a cegueira de quem encherga não despoe da maravilha da imaginação. Feche os olhos e abra a mente e enchergarás um mundo totalmente diferente!



Caique Maciel Arruda

segunda-feira, 13 de fevereiro de 2012

Silêncio Recitado

Pode deixar, por que as palavras que naum saem da minha boca é a beleza do silêncio que inspira meu falar!                              


Caique Maciel Arruda

terça-feira, 7 de fevereiro de 2012

Talking about love

Então; te digo que ando tomando remédios pra esquecer que um dia tentei esquecer o amor, porque por mais que nós soframos, nunca prestamos atenção que o amor nunca nos feriu e sim as pessoas que não deram valor a ele, ah, estas sim merecem ser esquecidas, estas sim merecem cair no meu esquecimento mas já os belos momentos do amor, ah, esses nunca, assim disse um dia um velho que eu vi a passar na frente do espelho com sua mulher: Queria saber o momento exato que você dorme, a velha : Para oque? então o velho disse: Pra poder acordar o sol e mostra-lhe como é lindo ver o seu se por o seu dormir, isso sim vale apena no amor!

Caique Maciel Arruda

terça-feira, 17 de janeiro de 2012

...................................

...............................................................................................................................................................................
...............................................................................................................................................................................
...............................................................................................................................................................................
...............................................................................................................................................................................
...............................................................................................................................................................................
...............................................................................................................................................................................
...............................................................................................................................................................................
...............................................................................................................................................................................
...............................................................................................................................................................................
...............................................................................................................................................................................
...............................................................................................................................................................................
...............................................................................................................................................................................
...............................................................................................................................................................................
...............................................................................................................................................................................
...............................................................................................................................................................................
...............................................................................................................................................................................
...............................................................................................................................................................................
eentendeu não vai solucionar, tem que pensar bem pra revolucionar.


Caique Maciel Arruda

Triangulo das Bermudas

Ela passa e eu olho, ela senta e eu noto, dá vontade de abraça-la só pra senti-la mais de perto, dá vontade de abri-las só pra vê-la melhor, da vontade de beija-la e sentir seu suor perfumado, abraça-la de perto só pra ficar mais excitado e se meu amigo Sparrow estivesse aqui  diria: Triangulo das bermudas, a búsula aponta nas minhas calças; outra boa aventura!

Caique Maciel Arruda

sexta-feira, 6 de janeiro de 2012

AMOR VOCÊ ME PROMETE UMA COISA, quese o mundo acabar você me abraça forte e naum me deixa sentir medo pelos meus pecados, não deixa - me sentir sozinho como sempre me sinto , não me deixa chorar porque tenho que estar apresentavel a Deus, não quero que ele veja minha face cheia de lagrimas quero q ele me veja com um sorriso no rosto pra recebe - lo e não solta minha mão pois preciso de você, e se você não estiver comigo  por favor promete que fechará os olhos e pensará que me ama assim como eu pensarei se naum estiver perto de vc, promete ! TE AMO!

Caique Maciel Arruda