Follow by Email

quarta-feira, 27 de junho de 2012

Luah



Os meus olhos se fecham e eu penso em você junto com um cigarro aceso e algumas cervejas no fim da minha geladeira, ah se você soubesse, que toda vez que eu penso o olho embaça é quando o sorriso se mistura a fumaça e o violão no canto do quarto grita melodias pra canetar escrever sinônimos de meus dedos meio as ondas douradas do seu cabelo. A incapacidade de entender a distância é que aumenta a minha batida cardíaca sempre quando eu te vejo e desejo que entre sorrios e abraços que você nunca parta de perto de mim, como na verdade não parte mas meus olhos abertos não enchergam oque meus olhos fechados podem, você enraizada em mim. Seus lábios vermelhos vem tirando meu chão após um "Caca" eu não queria ir embora se pudesse ficava aque com você até cair no sono, sem lá se quer saber que após dizer isso realmente fica comigo até cair no sono ou melhor sonho que a feliz luz da "Luah" vem me trazer. E como se fosse a primeira vez tento te conquistar dinovo feito um tolo risonho dizendo: Olá meu nome é Caique, você vem sempre aqui!? Adoro sentir seus póros suspirando quando brinco assim e você me abraça a distância faz o sentimento diminuir mas nunca passar isso sempre dá pra ver nos nossos olhares.



Caique Maciel Arruda

terça-feira, 12 de junho de 2012

Meus Títulos de Postagens no Blog como um bom Texto


O vazio que me permite habitar é a verdade notória da oração para os meus amigos mortos. Entenda deu tchuti em minhas pretenções então penso logo resisto aos felizes sofredores que em mensagens subliminares encontram glória em passos de allstarlarinas que dizem que é só tristeza ao mestre do humor com seu olhar vibrante que não há como escapar. Eu Deus? Os parametros da lagarta devolvem meu dom poeta com uma prazerosa visão da morte, oque realmente as pessoas pensam? Fragilidade Agressiva sem censura é outra dose da realidade onde se embreagam vampiranjos com sentidos perdidos e lembranças presentes pensando em simplesmente superar. Você não está sozinho(a) quando verdades espelhadas lhe mostram a ponte da imaginação em um silêncio recitado falando sobre o amor e...o triângulo das bermudas que fez você acreditar que o amor tinha lhe prometido algo pra sempre em meio aqueles pelos dourados, lágrimas de amor e oração de skatista. A menina dos meus olhos fica em alta frequência como uma flor de asfalto em uma peça de teatro escrita sobre senso comum, magia e destino. Aquele salva vidas está sobre manipulação entre uma sexta básica e qual é o seu sonho? Falsos sorrisos?  Traidores? Um Brinde aos Fracassados? Não sei mas pai meus ritmos e poesias  estão de malas prontas até porque pessoas sempre se vão e a terra minha perdida, queria esquecer, se foi e eu vi minha morte sem pedir, sem querer, morte e não vida e aquele v de vingança ainda me intriga pois debaixo de minha pele há um herói da classe baixa tentando não chorar. Ao deitar sinto o toque de suas mãos mas o tempo, alias, meu medo temporário fazem lágrimas trazerem respostas diferentes  em uma corda bamba de uma aposta errada em uma dúvida certeira de tentar fazer a reformulação do hino da indepêndencia, eu tentei como uma risonha flor preguiçosa mas os fantasmas dos meus 666 infernos me deixaram fora de orbita e as borboletas alternativas da desistência fizeram a gentileza de em uma dizima periódica me mostrarem a sinfonia da droga do amor mesmo quando meu coração  viu que era o fim ca história, nossa história. Agora opostos, fico eu retirando o curativo em um dia frio  e você com uma saudosa vida, um caminho, um legado e eu só com o seu perfume e a lembrança de uma amor de morte que só em meio a feitiçaria eu tive o conceito e logo digo que ensinei um anjo a voar pois esses são lances da vida e em uma dessas eu ainda me dou bem!

Caique Maciel