Follow by Email

terça-feira, 11 de setembro de 2012

Escola da Vida

Realmente as vezes parece que foi ontem a última vez pela qual entrei pelo portão da escola e também a última pela qual sai. De verdade, há duas imagens as quais não somem da minha memória nunca, a empolgação de ser o último dia de aula no ensino médio e a decepção de ser o último dia de aula no ensino médio. Lembro de todos aqueles sorrisos com lágrimas, de todas aqueles abraços que diziam:" -Te vejo amanhã na aula!". Que ironia, o dia dessa aula se perdeu no tempo e eu mal vejo meus colegas de classe mais (risos de lamentação), porem me pego preso na última aula, me pego preso na última prova, meus professores já não estão aqui pra me prender e meus pais não me acordaram de manhã pra vir a esta aula, não me deram nem perguntas, creio que estou sozinho nisso, assim como alguns amigos de classe e dói ao perceber que por melhores que sejam as notas que eu tinha em meu boletim eu nunca estive preparado pra isso e me parece que nunca estarei. Alguns professores já partirão dessa vida ( Prof. Luis Carlos ), alguns nem reconhecem mais meu nome, outros elogiam meu vozeirão, mas acredito que nunca estarei lá de novo! (lágrimas). Aquele tempo de sorrisos e complicações, estudos, brincadeiras, aulas as quais fugi, aulas as quais fui um genuíno professor outras as quais fui tão criança que vejo que aquele velho muro da escola não deveria ter sido meu cúmplice em inúmeras fugas porem, oque seria da escola sem isso, sem as idas a diretoria e sem as  aulas de matemática ou educação física! Tanto tempo juntos e todos se escafedem de uma maneira espetacular, somem e sem a miníma ternura tentam manter contato, acho realmente que é esta última aula, esta prova sem perguntas pré-estipuladas acho que é a maior provação, a vida! E quando saímos com total certeza de liberdade a vida te toma tudo isso com responsabilidades, cobranças, trabalhos, negócios inadiáveis, bebidas destiladas, cigarros, vícios e ainda por cima te deixa tão cansado a ponto de cair na bobeira de não acreditar no seu sonho, é meus amigos, faz nos não querermos sonhar. A vida nos dá uma grande surra sem respostas e só lhe sobra uma bateria de perguntas sem resposta e aquilo tudo que os seus professores e pais falavam não deixa de ser a sua mais pura realidade com 18 anos de idade. Realmente as vezes parece que me pego pensando lembranças de outras pessoas na escola da vida!

Caique Maciel Arruda

Um comentário:

  1. Me identifiquei totalmente, até pq conviivi com vc é fiz parte desse espirito dessa história.

    ResponderExcluir