Follow by Email

segunda-feira, 21 de outubro de 2013

$U$ - Sistema Único de Sofrimento

É  simples como se os olhos beijassem suas próprias meninas, complicado como se o suor não fosse por um momento o esforço de calar o choro do faminto, linhas peculiares e transcendentais que gritam por uma linear no giz que risca uma felicidade feita em zig-zag, altos e baixos que significam nunca deixar seu caráter verdadeiro pois ele é o único padrão de beleza aceitável por todos os cantos do submundo que se dá em festa por ainda ter essa essência nos bueiros dessa sociedade capitalista, pois nosso padrão de beleza aceitável é caráter, é ter cara, ter raça, ter coragem enquanto eles fazem outro baile de máscaras em volta da fugueira do santo Cifrão, valor horrível empregado aos restos de uma árvore tão bela e pura, valor horrível empregado ao seus restos mortais mas se ainda não entendeu o porque do Cifrão com letra maiúscula sem concordância de literatura é porque nessa cultura quando citamos algum deus ele vem com total onipotência até por aqui, por onde os ratos tecem gorros de manipulação e os porcos desenham figuras rupestres com o sangue de quem tenta fazer a revolução!
Quantas e quantas vezes não vimos isso acontecer!? Repito pra você que não entendeu, quantas e quantas vezes não vimos, NÓS NUNCA VEMOS NADA, quantas e quantas vezes...nossa justiça morre a cada dia no político livre e alguma mãe que por uma caixa de leite foi penalizada a mais de 20 anos de penitenciária, nossa justiça se torna vingança, nossa justiça se torna nossos punhos cansados de tanto tentar, de tanto dar murro em ponta de fuzis militares, se torna uma voz longe e louca no fim do túnel e eles, sim ELES ficam loucos a saberem que a luz no fim do túnel por incrível que pareça é miscigenada!
É tão complicado como cavar o próprio império ou calcular a paixão dos gigantes do ócio criativo pelo que nunca virão e só imaginam.
Hoje o baile é de máscaras pois quando pudermos conversar cara a cara com toda sinceridade eu quero ver sucumbir suas quiméras de mil tostões Barão $ .
O Cifrão sempre te da um fardo maior do que você pode carregar.

Caique Maciel Arruda

Um comentário: