Follow by Email

domingo, 1 de abril de 2012

É só Tristeza

É só tristeza, porem não é um novo sentimento, dando-me certeza de que toda vez que tento apaixonar-me o relento é minha casa e os refúgios infindáveis acabam por se acabar. Estou com as mesmas roupas velhas que vestia e com meu lazer, porem, inerte nas palavras que dizia a você, estupidez coerente, egoísmo meu, já que te tenho em mente queria meu corpo junto ao seu. Calado, eu tentei chamar sua atenção. Ignorante ignorando-te desejava sua rendição. Lembra aquele velho prêmio de idiota, sou invicto em ganha-lo, lembra quando eu te disse; estou apaixonado? Mediante essa situação você disculpa mas não e o fim acabara por um simples e seco mão quero te ver mais.
Porem, disse a você; feche os olhos e quando você abrir fingirei bem a agonia de não demostrar o meu amor,porem não olhe em meus olhos profundamente pois lá em um encontrará a verdade e no outro a vida podendo te amar, e se minhas mãos tremerem não se preucupe irei para o meu canto mais uma vez só compartilhar tal dor em meu violão em dó, e se eu me permitir acordarei mais uma vez , absorvirei mais uma vez e continuarei errando sorrindo mesmo quando machucado lembrando aquele velho teatro que imagino que não acontecera com meus pais e nos colos dos tais aprendendo a linear-me em vida solo sem choro.
Enfim, é só tristeza, pode entrar amiga!

Caique Maciel Arruda

Nenhum comentário:

Postar um comentário