Follow by Email

sexta-feira, 23 de março de 2012

Mestre do Humor

Fazer outros sorrirem quando na verdade queremos chorar. Ser o palhaço mais sério do circo. Mostrar humor como poema. Fazer do poema um humor. Ser baiano de carteirinha arretado como um sorriso sincero de uma criança. Ter todos os problemas do mundo e fazer do mundo um problema engrassado. Morrer e se manter vivo, sendo assim, ser imortal. Ser por acidente, se é que se pode ser de outro jeito. Contar o miserê com total empatia nos olhos. Degustar cada degrau da escada da felicidade e saber que todos os outros até chegar ao topo são total sofrimento e que o sorriso que se carrega, se deve ao almejo da conquista. Conquistar tudo e se sentir sem motivo. Motivar-se novamente, e fazer do motivo uma piada idiota. Ser além do seu tempo e se sentir que o único tempo que lhe interessa é esse, o além deixe pra depois. Continuar alegrar quando a alegria já se esvaiu, e não se importar pois oque importa é que o show deve continuar. Cortinas fechadas e o espetáculo em total ápice. Chorar de rir, simplesmente chorar agora, é a vida depois riremos de tudo.
PS: Eterno Francisco Anysio de Oliveira Paula Filho




Caique Maciel Arruda

Um comentário: