Follow by Email

terça-feira, 21 de fevereiro de 2012

Lembranças Presentes

“Sabe meu amor, escrevo não na esperança de que tu leias, mas para aliviar tudo que sinto, mais uma vez. Ontem a noite sonhei com você, foi um dos meus sonhos mais bonitos, não havia dor, nem dúvidas, nem confusões, nada. Só havia eu e você, sorrindo. Nos abraçamos e você me apertou como de costume, me deu uma mordida e eu puxei teu cabelo. Ficamos conversando por horas sobre tantas bobagens e conversamos também sobre o futuro, sobre o nosso futuro. Por fim você disse uma de suas idéias e eu te contrariei, como sempre fazia. Você começou a me fazer cócegas e eu te dei um tapa. Demos várias gargalhadas juntos e então acordei. Acordei sorrindo, como uma grande idiota. Reparei que tinha sido só um sonho, mas não um sonho comum como todos os outros antes. Estávamos sorrindo juntos. Então me peguei lembrando dos seus lindos olhos, de como você desviava o seu olhar, fingindo não estar notando a minha presença. Lembrei do seu abraço, do seu cheiro, ah aquele cheiro, que sempre ficava em minhas roupas e em mim. Lembrei da sua cara de mal, de como erguia a sobrancelha e enrugava o nariz, lembrei do seu sorriso. Lembrei de como eu ficava mexendo no seu cabelo e de como logo em seguida você ficava arrumando, você não tinha sussego, acabava de arrumar, eu ia la e mexia de novo. Lembrei das suas mordidas, lembrei dos apertos, puxões de cabelo e lembrei do seu beijo. Ainda me pergunto como é que eu posso sentir tudo isso, só de lembrar. É como se eu conseguisse sentir o teu gosto, sentir o teu cheiro aqui. Lembrar dos nossos momentos me faz bem. Relembro e relembro. E só assim posso te manter bem aqui, perto de mim.. Porque nas minhas memórias você ainda está aqui, tão presente como nunca.”



Jeniffer Diniz

Nenhum comentário:

Postar um comentário