Follow by Email

segunda-feira, 19 de setembro de 2011

Eu vi minha morte

Aconteceu no dia mais lindo, praticamente, da minha vida se ta ligado. Eu estava ali na praça da primavera e vinha caminhando, ao chegar na rua da minha casa o sol ainda estava descendo o horizonte e as árvores estavam muito lindas, eu havia encontrado meu amor em frente a minha casa me esperando foi quando lá sentei e conversamos durantes anos, sim parecia que foi além do tempo essa conversa,  sorriamos e lá eu estava muito feliz pra mim era o melhor dia da minha vida. Ela estava indo embora e eu fui com ela até o ponto de ônibus, parecia que aquela tarde de primavera nunca iria acabar, que seria eterno quando ela entrou no ônibus e se foi sorrindo. Enquando eu estava voltando pra minha casa observei dois homens passarem de moto e atirarem direto na minha cabeça foi quando eu morri e me vi morrer e por incrivel que pareça quando eu vi meu corpo no chão eu simplesmente não tive reação alguma, sentei ao lado do meu corpo e passei os dedos sobre meu sangue, eu havia morrido mas ainda estava ali, parado, sentado, pra abraçar e deliciar aquela morte era lindo e trágico. Quando fui percebendo que tinha deixado a todos, que eu havia deixado todos que amo pra traz começei a chorar, eu chorava que parecia não acabar mais meu pranto, minha consciência me surpreendeu com todos os meus momentos felizes que eu nunca mais poderia ter, com todos os eu te amo que nunca mais poderia falar pra nenhum de meus amores, com tudo e como se fosse uma carona vejo um homem rude porem simpático de preto em uma ferrari velha, preta, que me dizia se eu aceitaria uma carona de um velho solitário e eu aceitei, dentro do carro percebi que aquilo ou aquele era a morte, a morte me dando carona e quando percebi isso comecei a sorrir e dizer ha tempos que te esperava amigo, e sem demora perguntei, pra onde vamos e ele sorriu pra mim e me abraçou dizendo não posso te contar essa carona é pra você nunca mais voltar você irá a algum lugar, eu perguntei qual, céu ou inferno e ele me respondeu com um olhor intremulo que nada ela podia dizer que depois que a morte te busca só o tempo lhe dirá pra onde você irá. Em sorrisos deliriantes eu olhei pra ele e somente disse que ficava feliz que os últimos dias eu tenha passado com a pessoa que amo. Eu tenha passado com meu amor.

escrito e sonhado por Caique Maciel Arruda

Nenhum comentário:

Postar um comentário